Com uma ideia, mas ainda sem Lucas

Depois de um ótimo início de temporada 2015-17 sob o comando do jovem Víctor Sánchez del Amo, contando com uma dupla de ataque composta por Luis Alberto e Lucas Pérez e conseguindo ocupar um dos seis primeiros lugares da classificação em nove das primeiras 16 rodadas, o Deportivo de La Coruña representou uma das equipes mais sem rumo taticamente falando do Campeonato Espanhol nos últimos tempos. Neste período, nem mesmo as trocas de treinadores que ofereceram possibilidades para Gaizka Garitano e Pepe Mel acabaram resultando em uma solução prática para o conjunto da Galícia, que terminou as duas campanhas anteriores sendo ameaçado pelo rebaixamento e transmitindo péssimas sensações. Inclusive, nem mesmo a vitória sobre o Barcelona no passado mês de março serviu para gerar uma inércia positiva no estádio Abanca-Riazor.

Novamente ocupando os últimos lugares na classificação, a derrota para o recém-ascendido Girona em casa há menos de 15 dias acabou condenando o projeto de Pepe Mel, com os Blanquiazules decidindo apostar por um técnico com pouca reputação como Cristóbal Parralo na busca por melhores resultados. Desde então, o início do antigo comandante da equipe B do Dépor está marcado por uma goleada sofrida contra o Las Palmas em sua estreia em duelo válido pela Copa del Rey, uma vitória sobre a mesma Unión Deportiva em jogo pelo campeonato nacional e outro revés neste sábado, diante do Atlético de Madrid. O caso é que, ainda em uma fase inicial de trabalho, os primeiros objetivos do treinador de 50 anos estão ficando claros: a ideia passa por pressionar em campo rival em fase defensiva enquanto com a bola a intenção é jogar em um ritmo alto.

Neste sentido, Parralo vem utilizando laterais de perfil ofensivo como Juanfran Moreno e Luisinho em ambos os costados, além de manter os dois extremos (normalmente Fede Cartabia e Zakaria Bakkali) abertos em uma clara demonstração de busca pela verticalidade e jogo exterior na hora de atacar. Se trata de uma ideia coerente considerando as peças disponíveis, sendo que o interior costarricense Celso Borges, um especialista atacando zonas de remate desde segunda linha, pode ser uma das individualidades mais favorecidas. Porém, o problema até o momento está em que o atacante Lucas Pérez, claramente seu melhor jogador, não vem sendo potenciado por este plano, algo que ficou claro contra o Atlético. Em geral, o ex-Arsenal não representa um especialista finalizando cruzamentos laterais e atualmente o Deportivo lhe está oferecendo apenas isto.

FOTO: Real Club Deportivo de La Coruña

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*