Em busca de controle e criatividade

Nos últimos cinco anos, poucos meio-campistas no futebol italiano adquiriram tanta relevância quanto o espanhol Borja Valero para a Fiorentina. Como mediocentro, interior, mediapunta e até extremo, o jogador formado pelo Real Madrid foi bastante influente nos sistemas de Vincenzo Montella e Paulo Sousa por sua capacidade associativa, controle da posse, movimentação e ocupação de espaços entre as linhas adversárias. Somado a esta criatividade e precisão na construção, Borja também se destacou na finalização das jogadas, acumulando 40 passes de gol e 343 assistência para remates em 166 partidas no campeonato desde sua chegada a Florença em 2012. Certamente é isto que Luciano Spalletti procura no novo reforço da Internazionale.

Considerando a inadaptação do argentino Éver Banega no clube apesar de ter tido uma boa produtividade, porém sem regularidade e grande relevância, faltava alguém com este perfil criativo, mas sobretudo controlador para o elenco Nerazzurro. O desafio do treinador é criar um novo sistema para o time que não seja tão caótico quanto os de Frank de Boer e Stefano Pioli. Valero pode ser peça-chave para uma Inter que controle melhor a bola e crie mais soluções na construção das jogadas, sempre considerando que no ano passado a equipe foi demasiadamente exterior e dependente dos extremos Antonio Candreva e Ivan Perisic para ativar o atacante argentino Mauro Icardi – existem possibilidades para o playmaker espanhol aqui e aqui –.

FOTO: FC Internazionale Milano

2 Comentários

    • Acredito que ele busca algo básico por agora, até sem fugir muito do que foi o time com Pioli, mas o Borja é uma tentativa de justamente de gerir melhor a bola. Contra times pequenos, por exemplo, a equipe sofria para chegar à área adversária e dependia muito dos extremos, enquanto contra os grandes faltava controle para administrar o jogo. Não que exatamente procure acabar as partidas sempre com mais de 60% de posse, até porque não é seu estilo, mas um time mais equilibrado, que consiga jogar de diferentes formas, como sua Roma, que podia muito bem ter 70% de posse ou simplesmente jogar direto com Dzeko e Salah.

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*