Pesado, mas necessário

Depois de 24 jogos de invencibilidade com 22 vitórias e marcando ao menos um gol nas últimas 36 rodadas disputadas no Campeonato Francês, o Mônaco voltou a encontrar o caminho da derrota na Ligue 1 ao ser superado por 4-0 pelo Nice. O placar, apesar de largo, foi importante para evidenciar os problemas enfrentados pela equipe treinada pelo português Leonardo Jardim para encontrar um sentido futebolístico depois das diversas alterações sofridas na sequência do título nacional na última temporada. Diante dos comandados do suíço Lucien Favre, os Monégasques não encontraram espaços para superar as duas linhas compostas por quatro jogadores focadas em proteger a baliza defendida pelo goleiro Yoan Cardinale. As dificuldades para atacar, insistindo através de cruzamentos laterais, dos visitantes foram tamanhas que, em 11 finalizações, apenas uma foi entre as traves das Aiglons.

Sem o mesmo efeito surpresa de outros tempos caracterizado pela verticalidade e ritmo alto em suas tentativas ofensivas e com menos individualidades capazes de reverter a situação adversa por conta própria, a forma como o Mônaco circulou a bola enquanto esteve com a posse acabou sendo determinante para a goleada definitiva. Neste cenário, cada recuperação do Nice esteve a um passo de significar uma ocasião de gol através de transições, com o meio-campista costa-marfinense Jean Michaël Seri exercendo as funções de lançador para ativar principalmente os avançados Alassane Pléa e Allan Saint-Maximin em campo aberto. Sendo pouco profundo na hora de atacar e com o jovem mediapunta Thomas Lemar, sua única fonte de criatividade, presente apenas durante a primeira etapa, o repertório do Mônaco foi curtíssimo e se apagou ainda mais após o retorno do intervalo.

As dificuldades para se estabelecer dentro do campo do Nice, além da falta de efetividade nas situações de bola parada que garantiram boa parte do sucesso do ASM neste início da temporada, transmitiram a sensação de que os visitantes estavam entregues. Tal problema ficou claro na jogada do 3-0, que foi construída com apenas três passes executados desde a defesa a partir do jovem zagueiro brasileiro Marlon até chegar aos pés do atacante italiano Mario Balotelli. Enquanto o Nice recupera a ordem e o bom futebol após o péssimo início de campanha refletido na pesada eliminação no playoff prévio da Liga dos Campeões contra o Napoli, o Mônaco precisa desenvolver argumentos em confrontos de maior exigência para voltar a competir visando objetivos mais altos, com a fase de grupos da principal competição de clubes do futebol mundial prestes a ter início diante do RB Leipzig.

FOTO: OGC Nice

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*