Sempre favoreceu o Bayern

Neste sábado, o Bayern de Munique superou com claridade o Borussia Dortmund em mais uma edição da maior rivalidade do futebol alemão nos últimos anos. No estádio Signal Iduna Park, se trataram de 90 minutos que sempre favoreceram os comandados do veterano Jupp Heynckes, que desde o primeiro momento levaram o duelo para umas coordenadas que lhe interessavam. Desta forma, por mais que os mandantes tenham criado um interessante número de ocasiões de gol, a direção dos acontecimentos acabou tornando o 1-3 final em um resultado totalmente coerente. Para início de conversa, os visitantes dominaram a posse de bola durante toda a primeira parte, conseguindo impor sua ideia de ritmo alto e ataques exteriores repletos de verticalidade em especial durante o arranque da partida, algo que resultou em uma vantagem de dois gols antes do intervalo.

Como o plano do Bayern nunca passou por controlar o jogo, isto gerou um cenário aberto no qual o Dortmund dispôs de oportunidades para acelerar e criar perigo, em especial através de uma notável versão do jovem ponta-esquerdo estadunidense Christian Pulisic. O problema para o treinador holandês Peter Bosz, ademais das intervenções providenciais por parte do goleiro Sven Ulreich, esteve em que sua equipe atacou pior que o rival e novamente demonstrou diversos problemas defensivos, com cada uma das arrancadas dos extremos Arjen Robben e Kingsley Coman, ambos sempre auxiliados pelos laterais Joshua Kimmich e David Alaba, podendo terminar em um gol dos visitantes, algo que se concretizou com o interminável holandês ainda em uma fase inicial e com o atacante polonês Robert Lewandowski já na reta final da primeira etapa, os dois com remates espetaculares.

Mesmo assumindo o domínio da posse de bola após o retorno dos vestiários com Pulisic continuando insistindo, o Dortmund nunca conseguiu girar a inércia e levar o duelo para um contexto favorável para seus interesses, voltando a ser incapaz de alcançar fluidez, ritmo e/ou controle através de sua circulação ofensiva. Nesta altura, apenas o desacerto rematador de Lewandowski mantinha os locais com alguma esperança na partida. O caso foi que, entre o mesmo Robert e Alaba, o Bayern chegou ao 0-3 que liquidou com o adversário, com o belo gol marcado pelo zagueiro espanhol Marc Bartra já nos instantes finais não passando de um acontecimento anedótico e sem relevância. Depois de um início complicado com cinco pontos de desvantagem para o próprio Borussia na classificação, o conjunto de Munique já soma seis unidades de vantagem em relação ao rival deste sábado.

FOTO: FC Bayern München

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*